“BANDEIRA DE MELLO, RETROSPECTO” DE UM DOS MAIORES ÍCONES DA PINTURA BRASILEIRA

PUBLICADO NA COLUNA “CULTURA e ARTE COM SAN ROGÊ”, DO JORNAL GAZETA DO DF COM 20.000 (VINTE MIL) EXEMPLARES EM 14/07/10



Bandeira de Mello, a ANUNCIAÇÃO e o RETRATO DE VALMERI
(obras em têmpera e óleo sobre madeira)
- Foto do San Rogê


“… Navego e trago dentro de mim, como num porão cheio de lembranças amontoadas no decurso dos tempos, já com a linha de flutuação submersa, o registro de minhas relações com todos os lugares onde vivi, com paisagens percorridas ou imaginadas, vistas em um relance fugaz em viagens hipotéticas ou não e mais com as ideias lidas ou ouvidas nas esquinas da vida, ponto de encontro dos que se movem…”
Lydio Bandeira de Mello

O jornal Gazeta do DF esteve na abertura da mostra “Bandeira de Mello, Retrospecto” (que está exposta na Galeria Principal da Caixa Cultural de 14 de julho a 29 de agosto) e entrevistou Bandeira, o grande mestre emblemático da arte pictórica brasileira.


Bandeira de Mello e a TEMPESTADE
(obra de 1998 cryon sobre papel, 148x74 cm)
- Foto do San Rogê



Nascido em 1929, o premiado artista Lydio Bandeira de Mello (ou simplesmente Bandeira – “Assim prefiro ser chamado” –  é assim que o professor é conhecido em sua faculdade de belas-artes da UFRJ), Bandeira, é considerado um dos mestres da pintura no Brasil e influencia até hoje uma geração de novos talentos. O artista, professor de grandes acadêmicos da literatura e das artes, é considerado um eterno mestre e a sua reverência e convivência com os mais jovens, entretanto, serviram para que ele a cada dia valorizasse o interior dos seres humanos simples e excluídos da sociedade, e que, dentro de seu contexto ambíguo, merecem o mesmo respeito e dignidade dos intelectuais e poderosos.

De sua paleta nasceram obras dramáticas com forte temática social. Ainda hoje, aos 80 anos, em seu ateliê da Rua das Laranjeiras, ensina o traço em crayon aos jovens artistas interessados em aprender o preciosismo técnico do desenho.




MULA SEM CABEÇA, Bandeira de Mello
(obra de 1983, nanquim sobre papel, 105x76 cm)
- Foto do San Rogê


Bandeira nos revelou que prefere a arte do desenho, onde sente-se à vontade na criação de cenas mais livres e dramáticas. “Sim, eu realizo pinturas e desenhos dentre outras artes, porém é no desenho onde eu encontro minha identidade mais expressiva, mais livre... nos desenhos inclusive posso determinar um acabamento sem fim, onde você que aprecia pode contribuir com a realização final desta obra” .

Levando em consideração sua produção artística, rica em referências pictóricas, a exposição apresentada pretende a preservação da memória artística, tanto quanto a garantia da formação de opinião consciente, tendo como objetivo geral a divulgação da arte e produção artística brasileira.




Sem título, Bandeira de Mello
(obra de 1992, nanquim sobre papel, 73,5x103 cm)
- Foto do San Rogê



O público pode conferir cerca de 65 obras, entre pinturas, desenhos, estudos e projetos de um dos maiores ícones da pintura moderna brasileira. Também estão dispostos ao público uma cronologia ilustrada do artista e um filme com depoimento sobre sua vida e obra.

A mostra se caracteriza pela singularidade de sua proposta, unindo tanto a parte artística de Bandeira quanto o seu lado humano, que poucos pesquisadores, admiradores e estudantes da arte conhecem. Parte das peças selecionadas para a mostra é inédita, proveniente do acervo pessoal do artista e foi restaurada especialmente para a mostra, trazendo novas e preciosas informações acerca de seu processo criativo e sua produção artística.

O artista reforça ainda que o cunho desta mostra é expor o lado sentimental do homem, o lado verdadeiro e sem fachadas, sem máscaras, descortinado através de sua obra.


Sem título, Bandeira de Mello
(obra de 2001, crayon sobre papel, 151x67 cm)
- Foto do San Rogê


A exposição que ocupa toda a Galeria Principal da CAIXA Cultural Brasília apresenta obras de Bandeira de Mello reunidas a partir de coleções públicas e particulares. O estudo da pintura acadêmica foi determinante para o artista. Não por acaso ele se especializou no retrato, e seu trabalho guarda evidentes referências à tradição do ícone. Dono de um métier dos mais vigorosos, sua obra consagrou-se pela riqueza de detalhes, pela técnica rigorosa, pelo equilíbrio das cores e, sobretudo, pela sua extraordinária capacidade de trabalho, de forma humilde, incessante e infatigável. Menos conhecidos, mas de igual qualidade, são seus desenhos em grafite, seus nus femininos e aquarelas.

A exposição reúne diferentes temas recorrentes na obra do artista. São pinturas e desenhos em médio e grande formatos que retratam nus femininos, cenas do cotidiano, animais, pinturas religiosas, paisagens, o sertão, camponeses e retratos, além de estudos para a construção de afrescos e painéis. As obras da exposição estarão montadas a partir da reunião de grupos temáticos de sua produção, como Camponeses, Religiosos, Retratos, etc.

O design de montagem da exposição é realizado por Anderson Eleotério, e utiliza recursos de cor, som e iluminação para acentuar as características dos trabalhos num clima lúdico e intenso. A trilha sonora reúne músicas de jazz e blues, selecionadas especialmente pelo artista, procurando remeter os visitantes ao clima do seu ateliê, quando está trabalhando.


SERVIÇO:
Exposição “Bandeira de Mello, Retrospecto”
Local: CAIXA Cultural Brasília - Galeria Principal
Visitação: de 14 de julho a 29 de agosto de 2010
Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 9h às 21h
Endereço: SBS Qd 4 lote 3/4, anexo do edifício Matriz da CAIXA
Telefone: (61) 3206-9448
Agendamento de visitas monitoradas: (61) 3206-9892 (de terça-feira a sexta-feira, de 9h às 12h e de 14h às 21h)
Classificação etária: livre
Entrada franca
Acesso para portadores de necessidades especiais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CAIA NA REDE COM O ROGÊ